O que é folclore, qual a sua origem e o folclore brasileiro

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora licenciada em Letras

Folclore é o conjunto de manifestações culturais e tradicionais de uma região que, muitas vezes, foram aprendidas oralmente e sem formalismos, e transmitidas de uma geração para outra.

Sinônimo de cultura popular, o folclore é considerado a identidade social de um povo, porque um povo pode ser identificado através das suas tradições.

Nelas se incluem costumes, formas de cultivo, culinária, conhecimentos sobre chás, artesanato, histórias contadas pelos avós, formas de pensar, danças, canções para adormecer as crianças, brincadeiras.

Definir o que é folclore é um desafio para os folcloristas. Por isso, eles continuam realizando pesquisas com o objetivo de entender a sua amplitude. Só assim será possível promover a defesa desse patrimônio folclórico, conforme recomendação da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (UNESCO).

Origem do folclore

A palavra folclore surgiu do aportuguesamento da junção das palavras inglesas folk, que significa “povo”, e lore, que significa “conhecimento”.

A expressão folk-lore foi usada pela primeira vez pelo folclorista britânico William John Thoms no dia 22 de agosto de 1846, data que, em 1951, foi escolhida para comemorar o Dia do Folclore no Brasil.

No início não se sabia ao certo o que deveria ser considerado folclore, questionando-se, por exemplo, se a culinária fazia parte do conhecimento popular. Ao mesmo tempo, o folclore era associado às pessoas mais pobres, uma vez que as manifestações culturais da elite eram associadas à cultura erudita.

Desde o início, estudiosos têm se dedicado a definir um conceito tão abrangente. Com o objetivo de promover estudos sobre o folclore, em 1878, William John Thoms participou da fundação da Folklore Society.

Motivados pelos estudos do folclore realizados em outros países, os intelectuais brasileiros se voltaram para o tema e, em 1947, foi criada a Comissão Nacional de Folclore.

O I Congresso Brasileiro de Folclore realizou-se nos dias 22 a 31 de agosto de 1951. No evento, foi apresentada a Carta do Folclore, um documento em que constavam recomendações sobre o tratamento que deveria ser dado ao folclore, em termos de pesquisa, educação, preservação, entre outros.

Em 1995, no VIII Congresso Brasileiro de Folclore, em virtude dos estudos realizados, foi apresentada uma releitura da Carta de 1951.

Conceito do folclore no Brasil

De acordo com o Capítulo I da Carta do Folclore Brasileiro, apresentada no VIII Congresso Brasileiro de Folclore em 1995, o conceito de folclore é:

“Folclore é o conjunto das criações culturais de uma comunidade, baseado nas suas tradições expressas individual ou coletivamente, representativo de sua identidade social.

Constituem-se fatores de identificação da manifestação folclórica: aceitação coletiva, tradicionalidade, dinamicidade, funcionalidade.

Ressaltamos que entendemos folclore e cultura popular como equivalentes, em sintonia com o que preconiza a UNESCO.

A expressão cultura popular manter-se-á no singular, embora entendendo-se que existem tantas culturas quantos sejam os grupos que as produzem em contextos naturais e econômicos específicos.”

Características do folclore

  • As manifestações folclóricas são ensinadas oralmente, de uma geração para outra, e sem formalismos;
  • A autoria das manifestações folclóricas são anônimas;
  • As manifestações folclóricas destacam regionalismos;
  • O folclore está associado ao passado, mas pode surgir de costumes contemporâneos.

As manifestações folclóricas têm em comum o fato de, muitas vezes, não podermos identificar autores, serem espontâneas, serem transmitidas oralmente e sem formalização, serem antigas e destacar regionalismos.

Apesar das características recorrentes, elas não podem ser generalizadas. Por exemplo, quando falamos na transmissão oral esquecemos da literatura de cordel, que é transmitida de forma escrita. Além disso, as manifestações folclóricas também têm autores que podem ser identificados - pensemos nos repentistas conhecidos.

É comum associarmos o folclore ao passado, mas temos que lembrar que o folclore é uma cultura dinâmica, que se transforma. Nos nossos dias, por exemplo, o costume comum de um grupo pode ser uma manifestação folclórica.

O folclore surge dos costumes herdados pelos povos e assumem diferentes características de acordo com as regiões. No Brasil, por exemplo, o nosso folclore reflete os costumes trazidos pelos imigrantes, especialmente portugueses e espanhóis.

Folclore brasileiro

O folclore brasileiro, resultado da miscigenação dos povos que habitaram o Brasil, é composto por um vasto conjunto de manifestações culturais e tradicionais. São exemplos lendas, danças, festas, tradições, canções, ditados populares, culinária, adivinhas, trava-línguas.

Os costumes trazidos pelos imigrantes contribuem para a nossa cultura, nos conecta ao passado, enriquecem e nos unem culturalmente.

Leia também: Folclore brasileiro

Danças folclóricas

As danças folclóricas eram feitas para agradecer, para homenagear ou saudar forças espirituais. Além da música, envolvem figurinos bem elaborados, e surgem da fusão das culturas africana, europeia e indígena.

Leia também: Danças folclóricas

Festas populares

A maior parte das festas populares têm origem religiosa, ou eram de origem pagã e incorporam aspectos religiosos. Isso aconteceu porque algumas festas pagãs eram muito populares entre as pessoas, e como a igreja não conseguia acabar com a sua comemoração, atribui-lhe o aspecto religioso, como é o caso das tradicionais festas juninas.

Leia também: Festas populares

Lendas do folclore

As lendas do folclore brasileiro eram usadas para inibir certos comportamentos ou para explicar a origem das coisas. A lenda da mula sem cabeça, por exemplo, era contada para prevenir o envolvimento das moças com os padres, enquanto lendas como a da vitória-régia e da mandioca contam como essas plantas surgiram.

Leia também: Lendas do folclore brasileiro

Literatura popular

Na literatura popular, mais uma série de manifestações enriquecem o nosso folclore. As lendas e os provérbios e ditados, por exemplo, funcionam como uma advertência: “A pressa é inimiga da perfeição.”, “Deus ajuda quem cedo madruga.”, “Mentira tem perna curta.”.

Brincadeiras e jogos

As brincadeiras folclóricas e os jogos populares podem ser feitos em casa. Eles no têm regras muito difíceis, as quais foram ensinadas entre as diferentes gerações, e têm vários benefícios para o desenvolvimento.

Músicas folclóricas

As músicas folclóricas fazem parte da sabedoria popular. Elas costumam ter letras simples e são transmitidas há anos pelas gerações.

Márcia Fernandes
Márcia Fernandes
Professora, pesquisadora, produtora e gestora de conteúdos on-line. Licenciada em Letras pela Universidade Católica de Santos.